DISFUNÇÕES SEXUAIS
      A sexualidade é considerada um dos ícones da qualidade de vida, integrando a personalidade de cada indivíduo. É uma necessidade básica do ser humano e não pode ser separada dos aspectos da vida.
      Durante muitos séculos e até recentemente, a sexualidade era considerada a expressão de “baixos instintos” relacionados apenas ao ato sexual. Sexo está ligado à reprodução genitalizada da energia sexual. No entanto, a sexualidade possui um significado muito mais amplo, dessa forma, deve-se ampliar também o conhecimento do corpo para manter o exercício da sexualidade sem culpas ou preconceitos. O exercício da sexualidade inclui vários fatores como a construção da sensibilidade entre duas pessoas, como o toque, a dança, a fantasia, o olhar etc. Durante muito tempo a sexualidade, principalmente a feminina, esteve predominantemente voltada para a procriação e só recentemente foi considerada como parte integrante dos direitos sexuais e reprodutivos da mulher.
      Para se alcançar êxito na sexualidade é importante haver um amadurecimento físico e emocional do indivíduo, bem como ter conhecimento sobre o assunto, além de bons hábitos de vida. Fora desses parâmetros, homens e mulheres estarão sujeitos a algum tipo de disfunção sexual.
      A saúde sexual para a longevidade das relações afetivas é muito importante, independendo do gênero; o aspecto prazeroso do sexo tem demonstrado maior importância do que a sua finalidade reprodutiva, sendo que algumas disfunções podem interferir na saúde sexual e na qualidade de vida do indivíduo.
      A fisioterapia pélvica utiliza de técnicas para a melhora da qualidade de vida sexual, quando o individuo apresenta alguma alteração e/ou disfunção sexual.
DISFUNÇÃO SEXUAL MASCULINA:
 
  • Disfunção erétil : É definida como a incapacidade persistente ou recorrente de obter e/ou manter uma ereção adequada até o termino da atividade sexual, podendo causar sofrimento ou dificuldades interpessoais.
 
  • Ejaculação precoce : A ejaculação precoce (EP) é a disfunção sexual masculina mais frequente, com uma estimativa de acometimento de 20% a 30% dos homens em algum momento da vida. A etiologia da EP é multidimensional (as quais refletem predisposição biológica a uma latência ejaculatória curta), associadas a questões psicossociais.
DISFUNÇÕES SEXUAIS FEMININAS:
 
      A prevalência das disfunções sexuais femininas no Brasil alcançam os seguintes índices: anorgasmia 26,2%, dispareunia 17,8%, dificuldade de excitação 26,6% e desejo sexual hipoativo 9,5%.
 
 
  • Desejo Sexual Hipoativo: Quando há diminuição ou ausência total de fantasias e de desejo da atividade sexual.
 
  • Transtorno de Excitação: É a incapacidade persistente ou recorrente de adquirir ou manter a lubrificação vaginal e turgescência até o final do ato sexual. Antigamente, esse problema era denominado Frigidez.
 
  • Anorgasmia : Quando a mulher sente-se incapaz de atingir orgasmo. Pode haver um atraso ou ausência recorrente ou persistente do orgasmo, mesmo após estímulo sexual adequado.
 
  • Vaginismo: É a contração involuntária dos músculos vaginais que impedem a penetração do pênis, dedo, ou espéculo ginecológico ou mesmo um tampão. A mulher não consegue controlar o movimento de contração, apesar de desejar o ato sexual.
 
  • Dispareunia: É a dor genital associada ao ato sexual.

© 2018. Todos os direitos reservados.